martes, 27 de septiembre de 2016

Sporting dominador, FC Porto com mais soluções, mas Benfica lidera



Jornal de Notícias
Nova época, velho líder e o top-4 do costume. Decorridas seis jornadas, o Benfica comanda a Primeira Liga com 16, seguido do Sporting com 15 e do FC Porto e do Braga com 13. Que balanço podemos fazer deste primeiro terço da primeira volta?

A tabela classificativa diz-nos, para já, que os encarnados estão a ser os mais fortes até ao momento. Além de terem mais pontos, são - a par do Sporting - o melhor ataque e - a par do FC Porto - a melhor defesa. Em 6 jornadas, até já tiveram 4 deslocações. Podemos considerar que a vitória caseira contra o rival Braga (3-1) foi um excelente resultado. Fora da Luz, o Benfica só conhece o sabor da vitória. As vítimas foram o Chaves, o Arouca, o Nacional e o Tondela, 4 equipas que lutam pela permanência nesta liga. A equipa de Rui Vitória apenas regista um resultado negativo: empate em casa com o Setúbal. Diria que este Benfica tem cumprido, mas ainda não existem motivos para euforias.

Tal como na época passada, a equipa que melhor futebol tem praticado no início desta temporada tem sido o Sporting. Com ainda 3 campeões europeus no onze base, os pupilos de Jorge Jesus têm mostrado a sua superioridade em relação aos seus adversários, exceto o Rio Ave. Poucos dias depois de quase ter conseguido um brilharete no Santiago Bernabeu, o Sporting perdeu por 3-1 em Vila do Conde, numa partida em que foi banalizado por uma equipa com personalidade.

Com a chegada de um novo treinador, o FC Porto passou a ter uma nova filosofia de jogo, assim como uma gestão diferente do plantel. Numa fase em que a equipa precisa de se encontrar, estas mudanças constantes não se têm revelado benéficas para a equipa. No entanto, há apenas um resultado verdadeiramente comprometedor até ao momento a registar para a Liga frente ao Tondela, visto que a derrota em Alvalade é desculpável porque se trata de um super-Sporting. Sem razões para dramas, é necessário encontrar uma base de 6-7 jogadores que formaria a espinha dorsal, o que não é fácil quando se tem um plantel tão rico em opções de qualidade.

Os Gverreiros do Minho não quiseram assumir-se como candidatos ao título. Como tal, a menor regularidade da equipa de José Peseiro não é - para já - preocupante. Até já registaram um triunfo precioso em Guimarães (1-0). No entanto, correndo claramente por fora em relação aos lugares da Champions, terá de ter cuidado com a prestação dos rivais Vitória Sport Clube e Rio Ave Futebol Clube que, ao contrário do Braga, não terá de se preocupar com competições europeias e têm 10 pontos conquistados até ao momento.Os Gverreiros do Minho não quiseram assumir-se como candidatos ao título. Como tal, a menor regularidade da equipa de José Peseiro não é - para já - preocupante. Até já registaram um triunfo precioso em Guimarães. No entanto, correndo claramente por fora em relação aos lugares da Champions, terá de ter cuidado com a prestação dos rivais Vitória Sport Clube e Rio Ave Futebol Clube que, ao contrário do Braga, não terá de se preocupar com competições europeias.

miércoles, 25 de mayo de 2016

Quem é afinal o quarto grande? Boavista ou Braga?



O futebol português tem girado muito à volta dos três grandes. Há muitos anos que conhecemos este paradigma e ninguém se preocupa em lutar contra isso. Pelo contrário, parece só haver quem queira alimentar. A comunicação social desvaloriza a cobertura noticiosa de outros clubes, a maioria dos amantes da modalidade preferem ter um clube que ganhe títulos do que apoiar o clube local/regional e os próprios 3 grandes estão mais preocupados em ter poder na Liga do que procurar uma solução que traga mais receitas a todos os clubes. Mas não estará na altura de alargar o nosso foco e passarmos a falar em 4 grandes?

Quando se pensa neste conceito, cada vez mais se fala do Sporting Clube de Braga fruto da qualidade mostrada na última década. Uma Taça Intertoto, 2 Taças de Portugal, 2 Segundas Ligas e uma Taça da Liga. Conseguiu também ser vice-campeão nacional e da Liga Europa. Os feitos mais importantes foram conseguidos nos últimos anos com António Salvador na presidência.

Mas a verdade é que os fatores para designarmos um quarto grande não se podem resumir apenas ao passado recente. Vejamos porque é que o Boavista Futebol Clube também merece uma especial atenção. Uma Primeira Liga, 5 Taças de Portugal e 3 Supertaças. Várias vezes vice-campeão nacional, uma meia final da Taça UEFA e um apuramento para a segunda fase da Liga dos Campeões. O palmarés e os feitos boavisteiros são, portanto, bem mais relevantes, apesar da menor exuberância no passado recente.

Por último, há outros clubes que conseguiram ganhar um estatuto relevante na história do futebol português. Pelo que conseguiram a nível nacional e internacional, podemos colocar mais ou menos no mesmo patamar Vitória de Guimarães, Académica, Rio Ave, Paços de Ferreira, Belenenses e Vitória de Setúbal. Mas, como já tivemos oportunidade de analisar, ainda ficam muito aquém dos feitos de Boavista e Sporting de Braga. Ambos estão num patamar similar, embora considero que haja uma ligeira vantagem para o clube portuense.

JF

miércoles, 4 de mayo de 2016

Como fazer um Leicester português em condições "low cost"?


O Leicester acabou de confirmar o maior conto de fadas da história do futebol. Um dos clubes mais pobres da Premier League sagrou-se campeão nacional pela primeira vez... e a duas jornadas do fim! Seria possível isso acontecer em Portugal? 

Arquívo