lunes, 4 de noviembre de 2013

Revolução portista para a próxima época?

 
Como se sabe, o FCPorto "apenas" vendeu o títularíssimo João Moutinho e os talentos Cristian Atsu e James Rodríguez. A imprensa tenta justificar a época medíocre com as saídas destes jogadores, mas não me parece de todo que passa por aí. O problema é mesmo Paulo Fonseca, que tentou alterar o estilo de jogo e não está a resultar. A falta de rotatividade também não facilita integração dos suplentes. Ao que tudo indica havará uma revolução no final da época no que ao plantel diz respeito.

É verdade que perdemos aquele que é para muitos o melhor oito do mundo, mas ganhámos Fucile, Reyes, Carlos Eduardo, Herrera, Defour, Quintero, Licá e Ghilas. Todos têm muito valor, ainda que alguns deles ainda estejam em fase de adaptação e afirmação. O onze base de Vítor Pereira era mais ou menos este: Helton; Danilo, Mangala, Otamendi, Alex Sandro; Fernando, Moutinho, Lucho; Varela, Izmaylov/Defour/James, Jackson. Ou seja, se esquecermos apenas Izmaylov e James, apenas Moutinho é que muda.

Como é que se explica um rendimento tão baixo em relação à época? Há vários fatores que podem justificar essa perda de rendimento: a inversão do triângulo do meio campo (subida de Fernando abre espaços entre linhas), Lucho está um ano mais velho (não pode jogar mais de 60 minutos!), a lentidão/previsibilidade contra equipas muito fechadas, a falta de apoio a Jackson (Licá, Josué e Varela não são extremos, não procuram a linha de fundo para cruzar), etc.

Todos estes fatores têm dedo, pois claro, de Paulo Fonseca. É indiscutível que Fernando é um dos melhores jogadores do FCPorto e do futebol português, mas não é oito. Das duas uma: ou Fernando cede o seu lugar a Herrera ou então mantém o sistema de jogo de Vítor Pereira que muitos frutos deu. Como o quase luso-brasileiro termina contrato em 2014, até pensei que essa mudança tática tivesse a ver com isso mesmo. No entanto, Fernando é um dos principais indiscutíveis neste FCPorto!

Insistindo nos jogadores que terminam contrato esta época, os mais relevantes são estes: Fernando, Lucho, Helton, Fucile e Izmaylov. Mas em 2015, expiram igualmente os contratos de Rolando e Castro. Todos estes jogadores devem ter os seus respetivos futuros resolvidos até ao final desta época ou até mesmo deste ano civil.

Para além de todos estes jogadores em fim de contrato, existem outros que foram extremamente cobiçados no último verão e a saída deles no final da presente época com a eventual presença no Mundial parece inevitável. Mangala, Otamendi e Jackson serão sérios candidatos à saída, mas provavelmente só pelas cláusulas ou muito perto disso. Poderá o FCPorto encaixar cerca de 120 milhões com estes três jogadores e ficará com um plantel completamente renovado.

Não sei até que ponto poderão regressar Abdoulaye, Rolando, Tiago Rodrigues, Castro e Iturbe, mas todos eles estão a jogar bem nos seus clubes e seriam, sem dúvida, mais-valias. Com muito dinheiro para investir provavelmente o fará, mas não sei se será assim tão necessário tendo em conta os jogadores contratualmente ligados. As prováveis saídas de Helton e Lucho fazem com que a equipa fique sem um verdadeiro líder. A contratar alguém, a contratação teria de passar por aí.

Plantel após revolução:

Fabiano, Bolat, Kadú;
Danilo, Victor García; Maicon, Diego Reyes, Abdoulaye, Rolando, Tiago Ferreira; Alex Sandro, Quiñones;
Mikel; Herrera, Defour, Castro; Quintero, Josué, Carlos Eduardo, Tiago Rodrigues, Tozé; Iturbe, Kélvin, Ricardo; Licá, Varela; Ghilas, Kléber, Caballero, Vion

3 comentarios:

  1. Que raio de plantel é esse? todos muito bons jogadores sim, mas falta experiência nesse plantel, além disso o Lucho só tem 32 anos, eu vejo o Giggs a jogar com 40 por isso não me fodam

    ResponderEliminar
  2. Eiiiii...pára aí um pouco...nós não somos o Sporting nem temos necessidade de o ser...não vamos agora passar de um bom plantel, que o treinador por ventura não sabe aproveitar, para um plantel quase junior...falta aí muita xicha rija, loool
    O Lucho tem sido somente o nosso abono de familia e sinceramente não me importa que tenha 32~33~34~35, é o que mais corre e joga e enquanto assim for tem lugar de caras claro e precisamos muito dele, aliás, a tal falta de experiência e chefia no balneário pode muito bem ser resolvida desta forma, mesmo que para a próxima época o Lucho não garanta e não faça tantos jogos e tenha tanta influência em campo, devia ver o contrato renovado pelo menos mais um ano...muito mais se de facto vier a existir qualquer tipo de "revolução".

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Não concordo nada em relação a Lucho. É um jogador importante em termos de balneário e pode ser muito útil em todos os jogos, mas durante meia hora ou 45 minutos. Quando Lucho anda a arrastar-se durante 90 minutos, os outros têm de correr o dobro. Acho que o treinador deve alternar o Lucho e o Quintero. Na primeira parte joga um, na outra joga o outro. Os dois davam o máximo e seria bom para a equipa. Não são muitos jogadores no plantel do FCPorto que têm intensidade/pulmão durante todo o jogo. Os 4 defesas, Maicon, Herrera, Defour e talvez Josué... Mesmo assim, não sei. É por isso que é importante substituir cedo e não nos últimos 10 minutos. Quando as coisas estão a correr mal, permite mudar a estratégia e dar outra dinâmica. Quando a equipa está a vencer, é importante dar tempo aos menos utilizados que são mais-valias neste plantel. Já para não falar do elevadíssimo salário que Lucho aufere.

      Xicha rija? Vá ver as idades de Fabiano, Maicon, Rolando, Defour, Herrera, Josué, Varela, Licá... Quase todos eles já conhecem muito bem aquela casa.

      Eliminar

Arquívo