miércoles, 9 de abril de 2014

Novo Modelo Primeira Liga: ideia que traria muitos milhões ao nosso campeonato!



·        Primeira fase: Zona Norte (12 equipas) e Zona Sul (12 equipas). As seis melhores equipas de cada zona qualificam-se para a Liga de Elite, as outras 12 disputam o campeonato da manutenção. (22 jogos em cada competição) (de início de agosto a final de novembro/início de dezembro)
·        Segunda fase: Liga de Elite (12 equipas) e Campeonato da Manutenção (12 equipas, descem 5) (22 jogos em cada competição) (de início/meados de dezembro a finais de maio [eventualmente início de junho])
·        Jogos entre as 5 (ou eventualmente 6) melhores equipas de todas estas competições serão sempre disputados a meio da semana (de segunda a quinta) por vários motivos:
o   A questão da venda dos direitos televisivos a países estrangeiros (muitos jogos apetecíveis da nossa liga em dias com poucos jogos grandes no mundo inteiro significa certamente um maior interesse por parte de canais estrangeiros pela nossa liga)
o   Trata-se de jogos com uma grande assistência (mesmo a meio da semana), o que permite fazer com que os jogos menos interessantes tenham mais espetadores por serem obrigatoriamente disputados ao fim de semana (sexta a domingo) (jogos ao domingo disputados entre as 15h e as 21h se possível)
o   Permite às equipas que participam nas provas da UEFA evitarem jogos grandes nacionais próximos dos jogos europeus (sempre cerca de uma semana entre um jogo europeu e um jogo grande do campeonato e vice-versa)

·       Grande número de jogos permite uma venda mais acessível dos direitos de transmissão de jogosde clubes grandes a canais abertos. Portanto, a sugestão passa por transmitirem dois jogos (das 5 melhores equipas portuguesas dos últimos 5 anos, tal como foi sugerido pelo Ministro Poiares Maduro recentemente) por semana em canal aberto. (na época inteira, teríamos 80 jogos, 16 jogos por equipa)
·        Acabar com a Taça da Liga por excesso de jogos. Está claro que jogos da liga garantem uma assistência muito maior e um número maior de telespetadores. Campeonato regional pode ser visto como uma espécie de alternativa, indiscutivelmente mais lucrativa, à Taça da Liga.
·        Campeonatos Zona Norte e Zona Sul permitem uma redução dos custos em transportes tanto para os adeptos como para os clubes. Evita-se algum desgaste nas equipas que participam na fase de grupos das provas europeias.
·        Liga de Elite tem outro fator aliciante: o top-8 disputa menos uma eliminatória da Taça de Portugal (entrada apenas nos oitavos do ano seguinte, equipa de escalão superior joga sempre fora) (meia final a uma mão) (máximo de 4 jogos para estas equipas)
·       Uma cota: Número mínimo de 20 jogadores portugueses com idade superior a 19 anos, aquando da inscrição do plantel na liga de clubes permitiria garantir um número significativo de jogadores portugueses em muitos jogos. Cenário de dois jogos por semana obrigam as equipas a rodarem o plantel. É crível que haja, no mínimo, cerca de 10-15 jogadores com nacionalidade portuguesa a jogarem com alguma regularidade. Os clubes que não conseguem garantir um plantel português estariam assim forçados a contratar estrangeiros de grande valor, ao contrário do que sucede atualmente em quase todos os clubes profissionais. 
·       Permitia um número mínimo de jogos aceitável: 45 jogos caso um clube sem competições da UEFA seja eliminado logo no primeiro jogo da Taça de Portugal. Trata-se de um número aceitável para manter um bom nível competitivo a todos os clubes, ao contrário dos atuais 33 jogos mínimos.
·       Número máximo de jogos poderá atingir os 62-64 em ano extraordinário (supertaça (1) + 44 da liga + 4 da Taça de Portugal + Champions (13) ou Liga Europa (15). Se tivermos em conta que na presente época estão previstos 61 jogos divididos por campeonato, Liga Europa, Taça de Portugal e Taça da Liga (34+15+7+5), não se trata de uma diferença significativa no número máximo de jogos. No entanto, evitaria obrigatoriamente o enorme fosso que atualmente verificamos entre um clube grande e um clube pequeno. Esta diferença será no máximo de 19 jogos contra os 28 atuais.
·       Permite um encaixe significativo em termos de bilheteira a mais seis equipas tendo em conta o alargamento, visto que estas defrontam clubes com enormes massas adeptas, ao contrário do que acontece na Segunda Liga.
·        Muitos jogos em agosto oferecem mais possibilidades aos emigrantes portugueses de assistirem aos jogos do nosso principal escalão. Um aumento dos jogos na época de Natal (fim de dezembro/início de janeiro) também será vista com bons olhos por estas comunidades.
·       Participação europeia teria tudo para melhorar significativamente, principalmente na fase de grupos. Dada a sua menor exigência, o campeonato regional permite fazer uma gestão inteligente do plantel em função dos jogos europeus.
·       Novo modelo traz inúmeras vantagens a todos os níveis, mas há uma que agrada muito aos amantes da modalidade: o provável aumento do número dos jogos grandes (4 Sporting-Benfica, 4 FCPorto-Braga, 4 FCPorto-Guimarães...). Em dez meses de competição, temos cerca de 80 jogos grandes (maioritariamente os jogos entre Porto, Benfica, Sporting, Braga, Guimarães e Boavista), o que daria uma média de 8 jogos grandes por mês.
·       Segunda fase seria extremamente competitiva porque reúnem apenas equipas muito fortes. Primeira fase teria provavelmente uma qualidade menor, mas ainda assim garantem muitos dérbis e alguns clássicos, oferecendo uma assistência considerável.
·       Mais transmissões televisivas
o   Liga Zona Norte: transmissão de todos os jogos de FCPorto, Braga, Guimarães e Boavista + alguns jogos de outros clubes.
o   Liga Zona Sul: transmissão de todos os jogos de SLBenfica, Sporting, Marítimo e Nacional + alguns jogos de outros clubes.
o   Transmissão de todos os jogos da Liga de Elite
o   Transmissão do melhor jogo de cada jornada da Liga da Manutenção

14 comentarios:

  1. Respuestas
    1. Não entendo porquê? A ideia só traz benefícios a todos os clubes. Temos de a apoiar para termos um futebol melhor...

      Eliminar
    2. Não é bem assim. A 1ª fase do campeonato será aborrecida pois Benfica, Porto e Sporting não têm a pressão nem necessidade de ficar em 1º. Podem ficar em 6º que é igual. Depois jogos grandes nessa 1ª fase não vão ter o mesmo significado. Claro que toda a gente vai querer ganhar mas no fim só ficam "bragging rights", pois não vai contar para a qualificação final.

      Com a restrição de estrangeiros, os clubes teriam de fazer uma mega revolução nos planteis. A mim pouco me importa se o Benfica ganha com 11 portugueses ou com 11 estrangeiros, o que me importa é que ganhe e jogue bem.

      Lá por serem portugueses não quer dizer que sejam melhores ou vão dar + ao clube. Por exemplo Miguel e Manuel Fernandes que saíram à força do clube (principalmente Miguel) e apesar de terem uma carreira decente, podiam ter tido uma carreira muito melhor se tivessem tido + cabeça. Já o David Luiz chegou ao clube um "Zé Ninguém" por muito pouco dinheiro e saiu por muitos milhões + Matic que voltou a render + uns milhões. Sempre que fala do Benfica fala bem e é muito adorado pelos adeptos. Já o Miguel e o Manuel Fernandes nenhum adepto os quer ver nem pintados!

      Eliminar
  2. Não teriam de fazer revolução nenhuma. Jogadores naturalizados também contam como portugueses. É importante não esquecer isso.

    Primeira fase ia ser aborrecida? É um título que está em disputa. Ninguém vai lutar apenas pelo sexto lugar. Ia ser muito interessante, porque os clubes mais pequenos iam fazer um esforço enorme para acabar no top-6, garantindo desde logo a manutenção.

    ResponderEliminar
  3. ideias muito bem fundamentadas numa boa teoria, mas com alguns "senãos", por exemplo o caso da liga regional estariamos a falar de uma especie de liga intercalar? o campeonato dividido em duas fases creio que tem lados bons mas lados maus como a questão do titulo pq, como acontece no futsal uma equipa que ganha a fase regular pode não ser campeã nacional o que acho tremendamente injusto, ou seja o Porto e o Benfica podem ganhar as respetivas zonas norte e sul e o Sporting no fim ser campeão nacional isso é um pouco estupido. Tambem penso que faltou outra coisa a questão dos jogos à tarde que seriam muito atrativos e realçavam a festa do futebol.

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. É igual para todos. É como se o campeonato a sério começasse apenas em dezembro. O campeonato regional é sempre aliciante porque se trata de um título importante e porque há muitos dérbis.

      Em relação aos jogos ao domingo à tarde, a ideia é exatamente essa. Jogos as 15h00, 17h00 e 19h00 para favorecer o espetáculo e garantir boas casas. Convém lembrar que os jogos ao fim de semana são os jogos menos apetecíveis (teoricamente). Jogos grandes a meio da semana!

      Eliminar
  4. Muita teoria imaginada na cabeça num sofá qualquer... Além do mais, denota profundo desconhecimento sobre a realidade das outras equipas além 3 'grandes'. Era um falhanço total.

    ResponderEliminar
  5. A ideia é exatamente pensada a favor dos pequenos. Associar falhanço a este modelo é completamente sem fundamento. Não tem qualquer hipótese de falhar e colocaria o futebol português no topo do futebol mundial. Obrigação de inscrever poucos estrangeiros ia prejudicar FCPorto e Benfica em relação aos outros, pelo menos no início. As diferenças de qualidade iam diminuir entre os clubes. É indiscutível que ia haver mais receitas de bilheteira e mais receitas televisivas. Parece-me óbvio, visto que há mais jogos e também pela proximidade geográfica e a motivação que todos os jogos que trariam. Não tem qualquer possibilidade de tentar deitar esta ideia abaixo, não há argumentos para isso.

    ResponderEliminar
  6. Nao tem ponta por onde se pegue

    ResponderEliminar
  7. tantas silvas para apanhar e andam estes gajos a perder tempo com esta cagadeira...

    ResponderEliminar
  8. Respuestas
    1. Atualmente a Taça da Liga pode ter 6 jogos, a Taça 7 e a Liga 34. Com este modelo, Taça da Liga desaparece, ou seja, menos 6 jogos e menos 3 na Taça também. A Liga terá mais 10 jogos. Isto significa que no cômputo geral as competições nacionais dariam mais ou menos o mesmo número de jogos em comparação com o modelo atual. A única coisa que muda é a qualidade e a intensidade dos jogos. Para ter receitas a sério e exportar o nosso produto tem que ser assim.

      Eliminar
  9. Campeonato com 10 clubes a 4 voltas 36 jornadas seria muito mais competitivo e com jogos mais interessantes.
    Se os 3 grandes juntos vao receber das tvs cerca de 120 milhoes por ano, uma media de 40 milhoes cada entao se os mesmos 3 grandes vao ter que jogar metade dos jogos fora os restantes 7 clubes podiam exigir a mesma quantia de 120 milhoes a dividir por 7 o que daria uma astronomica quantia de 17 milhoes de euros por epoca para cada clube pequeno. Seria muito mais interessante ver um campeonato so sporting, porto, benfica, braga, guimaraes, maritimo, academica, setubal, boavista e belenenses... nao da interesse em ver jogos com arouca, tondela, moreirense etc.

    ResponderEliminar
  10. Procuro Jogadores Portugueses (de 18 a 26 anos)(defesas,médios,extremos e avançados) para jogar no estrangeiro.Envia o contacto e Curriculum e de preferência link de vídeo pessoal. alexandreambc@hotmail.com ,

    ResponderEliminar

Arquívo