lunes, 18 de agosto de 2014

A Crónica de Segunda

Hoje estreamos uma nova rubrica, e logo numa altura histórica! Destaque para o mais jovem marcador de sempre do FCPorto no arranque da Primeira Liga. Os Dragões começaram com o pé direito ao vencerem o Marítimo por 2-0 no Estádio do Dragão. O Vitória de Guimarães foi a Barcelos vencer por 3-1 e mostrou ser um seriíssimo candidato ao top-5. Sporting e Académica dividiram os pontos no duelo em Coimbra. Benfica venceu o Paços de Ferreira por 2-0. O Braga bateu o Boavista por 3-0. Esta liga promete emoção até ao fim!

FCPorto-Marítimo

Os azuis e brancos foram os primeiros dos grandes a entrar em campo. Venceram os insulares por 2-0, dominando claramente durante os 90 minutos. Muito esporadicamente, o Marítimo até conseguiu chegar com algum perigo à baliza do FCPorto. A bola pertenceu quase sempre ao conjunto portuense, embora não tenha conseguido criar muitas oportunidades flagrantes de golo. Ainda que o jogo estivesse controlado, o resultado esteve incerto até ao minuto 93, quando Jackson Martínez deitou por terra as esperanças do adversário.

Lopetegui já disse várias vezes que quer ser protagonista e tem tudo para o ser. Praticamente teve carta branca para contratar quem queria contratar e dispensar com quem não contava. Tem 2 ou mais jogadores com qualidade e experiência por posição, avisando que não haverá titularíssimos neste FCPorto. Ou seja, tudo indica que teremos um FCPorto forte, confiante, dominador e motivado para esta época. Essa ousadia ficou bem patente no primeiro jogo, onde o FCPorto quis encostar ao máximo o Marítimo à sua baliza, colocando várias vezes toda a linha defensiva no meio campo do adversário.

Rúben Neves esteve claramente em destaque neste encontro por vários motivos. Estreou-se com a camisola do FCPorto com apenas 17 anos, 5 meses e 2 dias a titular na Primeira Liga. Além disso, marcou o primeiro golo desta edição do campeonato e abriu o marcador a favor dos Dragões rumo ao primeiro triunfo oficial da época.

Brahimi é outro jogador em destaque neste FCPorto. Trata-se de um caso sério para esta temporada. Tem tudo para ser protagonista tanto a nível nacional como a nível internacional. É criativo, raçudo, veloz e polivalente, tem iniciativa e faz a equipa jogar. Na primeira jornada, mostrou uma vez mais todas essas qualidades como tinha vindo a fazer ao longo da pré-época.

Académica-Sporting

Foi a Coimbra defrontar uma Académica pouco confiante depois de uma pré-época menos conseguida e com poucos reforços de peso. Os leões conseguiram mostrar a sua supremacia na primeira meia hora frente a um adversário que não se estava a encontrar e podia ter conseguido avolumar o resultado, construindo uma vitória tranquilo. A verdade é que apenas conseguiu concretizar apenas uma vez através de Carrillo e permitiu aos estudantes que crescessem no encontro.

Na segunda parte, Paulo Sérgio fez algumas alterações e a Académica criou inúmeras dificuldades a Rui Patrício que esteve em bom plano. A Briosa correu atrás do empate e tudo ficou mais fácil quando William Carvalho foi expulso. Já com opções defensivas como Oriol Rosell e Paulo Oliveira em campo, o Sporting acabou mesmo por sofrer o golo do empate nos descontos por intermédio de Rafael Lopes.

Marco Silva aproveitou bem o trabalho realizado por Leonardo Jardim na época passada, dando-lhe um toque pessoal. O estilo de jogo do novo treinador diferencia-se ligeiramente por causa da maior velocidade que pretende imprimir no jogo atráves de extremos que procuram preferencialmente zonas mais interiores auxiliados por um ponta de lança móvel como é Montero.

O central francês Naby Sarr foi a grande novidade no onze sportinguista na ausência de Marcos Rojo, ganhando surpreendentemente a corrida a Paulo Oliveira. Trata-se de um jogador muito alto (1m96) e forte fisicamente. Não fez um mau jogo, mas é natural que não dê a mesma garantia e segurança que o internacional argentina. No entanto, é certo que tem qualidade e pode ser uma agradável surpresa esta época.

SCBraga-Boavista

O Braga, que apresentou o onze mais português dos grandes, foi o candidato que conseguiu o melhor resultado, superando o Boavista que está finalmente de regresso à Primeira Liga. Os golos foram apontados pelos portugueses Tiba, Rúben Micael e Éder.

A equipa de Sérgio Conceição beneficiou de um golo madrugador logo no primeiro minuto do jogo graças a uma entrada também forte no jogo. O Braga não contava com Matheus, Wallace, Djavan e Danilo, ou seja, quatro baixas de peso. No entanto, estamos perante um sério candidato aos lugares cimeiros com um plantel fortíssimo, recheado de talento e de experiência, que não terá o cansaço das competições europeias. Apresenta um estilo de jogo ofensivo com muita personalidade à semelhança do futebol praticado pela Académica na época passada, embora agora com muito mais qualidade.

Para quem acha que este Boavista vai ser um passeio para todos os outros clubes da Primeira Liga, não me parece que vá ser o caso. É verdade que Petit teve de construir um plantel quase de raiz com a entrada de muitos novos jogadores em pouco tempo e que os boavisteiros terão que ter paciência nos primeiros jogos, mas este plantel tem mais qualidade do que alguns outros planteis da Primeira Liga.

Benfica-Paços

Os encarnados tiveram uma entrada fraca no jogo, onde o Paços conseguiu dominar nos primeiros 20 minutos. A equipa de Paulo Fonseca teve inclusive uma excelente oportunidade para se adiantar no marcador através de uma grande penalidade. Manuel José foi chamado a converter e falhou o castigo máximo. Não marcaram os castores, marcou o Benfica através de Maxi numa boa combinação com Nico Gaitán. A partir daí, o Paços nunca mais conseguiu impor o seu estilo de jogo e o Benfica cresceu na segunda parte. Os pacenses raramente chegaram com perigo à baliza na segunda parte e o Benfica acabou por chegar ao segundo golo por intermédio de Salvio.

Destaco o excelente trabalho feito por Jorge Jesus depois de uma pré-época desastrosa. O técnico do Benfica optou por manter ao máximo o modelo de jogo e jogadores que atuavam com regularidade na época passada apesar das várias saídas. Não sabemos até quando ele vai conseguir manter esta espinha dorsal, visto que Enzo Pérez estará de saída e também existe a possibilidade de Gaitán e Luisão abandonarem a Luz. A saída de Enzo Pérez implicaria a entrada de André Almeida no meio campo ou adaptação de Pizzi como Jesus já adiantou.

Do outro lado, tivemos um Paços à Paulo Fonseca com muita personalidade e sempre com a vontade de disputar os três pontos em qualquer campo. Hurtado e Cícero estão de volta e prometem ser uma das duplas de ataque mais temidas desta Primeira Liga como já tinham sido há 2 épocas. O antigo treinador do FCPorto não podia contar com um dos reforços mais sonantes no lado direito da defesa: Rodrigo Galo. O Paços mostrou ter uma excelente equipa e tem tudo para fazer um campeonato tranquilo, embora não seja um dos favoritos para conseguir um lugar europeu.

Gil Vicente-Vitória de Guimarães

Os vimaranenses entraram com o pé direito esta época ao vencer o Gil Vicente em Barcelos por 3-1. Os minhotos dominaram durante os 90 minutos com Bernard e Hernâni em destaque. O cabo-verdiano bisou, o ganês marcou um golo, conseguiu fazer uma assistência e fez uma grande exibição. Será um médio ofensivo a ter em conta nesta Primeira Liga. O Guimarães tem um excelente plantel e não terá competições europeias este ano, ou seja, trata-se de um sério candidato e grande favorito ao quinto lugar, partindo do princípio que FCPorto, Benfica, Sporting e Braga acabem nos primeiros quatro.

O Gil Vicente até garantiu alguns reforços de qualidade como Diogo Valente, Evaldo e Gladstone, mas a verdade é que essa qualidade não veio ao de cima neste encontro. Apesar contar com um bom plantel com vários jogadores experientes e com alguns jovens talentos de qualidade, o Gil Vicente é um dos candidatos à descida nesta competição juntamente com Moreirense, Penafiel, Arouca, Académica.

Destaques e Onzes da Semana (ver lado direito)

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Arquívo