martes, 16 de septiembre de 2014

#ACS Paulo Batista travou o FCPorto em Guimarães - Boavista vence finalmente

Dos grandes, só o Benfica não perdeu pontos nesta jornada. À quarta jornada, já não há equipas só com vitórias. O Sporting já empatou 3 vezes, mas está apenas a 4 pontos da liderança. Está tudo em aberto com a competitividade em alta!


Guimarães-FCPorto

Jogo grande da quarta jornada da Primeira Liga. Era um grande espetáculo em perspetiva e as equipas não nos desiludiram. O jogo acabou empatado a um. Foi um jogo muito bem disputado, com as duas equipas à procura de golos. A arbitragem é que não esteve à altura deste grandíssimo jogo.

Lopetegui voltou a deixar Ricardo Quaresma fora do onze e nem sequer o meteu na segunda parte, apesar de as caraterísticas do extremo - agitador, veloz e desequilibrador - terem podido oferecer a solução para este jogo ao FCPorto.

O treinador quis utilizar os médios todos e teve o jogo que pretendia: Quintero e Brahimi a procurarem constantemente as zonas interiores, a que estão habituados, e depois não havia profundidade nas alas para servir Jackson, fruto do domínio repartido e da pouca posse de bola do FCPorto (comparativamente com os jogos anteriores). Os laterais não conseguiram ser os médios ala que costumam ser quando a equipa está muito subida e tem mais de 70% de posse de bola.

Rui Vitória apresentou um onze sem surpresas, igual a si próprio com muita personalidade. Tinha duas baixas importantes: Nii Plange estava castigado e Alex lesionado. Foram substituídos por Bruno Gaspar, que fez um belíssimo jogo, e por Caiado. O Vitória entrou forte no jogo e a procurar constantemente o flanco direito, onde tinha José Ángel pela frente, por intermédio de Hernâni que tinha estado em destaque nas primeiras jornadas.

O cabo-verdiano até conseguiu desequilibrar no início do encontro, mas à medida que os minutos iam passando, o lateral espanhol ia ganhando confiança e Hernâni acabou por ter uma exibição pouco inspirada. O Vitória ficou um pouco dependente da excelente visão de jogo de André André, que transportou a bola como ninguém, e do craque Bernard.

O médio ofensivo ganês é um grande talento do futebol mundial. Voltou a marcar neste encontro, desta vez através de uma grande penalidade. Imprimiu velocidade no jogo, rematou com perigo à baliza de Fabiano e fez bons passes no último terço.

Outro jogador em destaque neste encontro foi Brahimi. Enfim, tem sido recorrente, ele é, na minha opinião, um dos melhores médios ofensivos da atualidade. Veio trazer imensa qualidade ao nosso campeonato. Muito criativo, tecnicamente perfeito, muito imprevisível, muito rápido, tem um excelente remate, tem raça, classe... É um jogador que o FCPorto não pode deixar sair, porque ele mostra todas as qualidades que referi em todos os jogos.

Não gosto muito de falar em arbitragem, mas desta vez é inevitável. Paulo Batista é mesmo o grande destaque - pela negativa - desta partida. Uma arbitragem desastrosa num jogo em que o FCPorto saiu claramente prejudicado. Um golo mal anulado a Brahimi, penálti por assinalar sobre o mesmo, outra grande penalidade por assinalar sobre Quintero e muitas faltas desnecessárias a meio campo que quebraram o ritmo quando o FCPorto queria imprimir velocidade no jogo.

Boavista-Académica

Em atualização

DESTAQUES DA SEMANA DO LADO DIREITO

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Arquívo