lunes, 22 de septiembre de 2014

#ACS Vitória suada coloca Benfica na liderança perdida pelo Rio Ave em crise




Resultados imprevisíveis e incertos até ao fim. Mais uma jornada de um campeonato competitivo. Por muito que alguns insistem em não o considerar como tal, é difícil contrariar quando vemos o "gastador" Braga em oitavo e apenas 5 pontos de diferença entre o sexto e o 15°. Eis a análise da vitória benfiquista por 3-1 e da derrota em casa do Rio Ave.


Benfica-Moreirense

Os encarnados procuravam dar uma boa resposta à derrota sofrida para a Liga dos Campeões frente ao Zenit. O Moreirense prometia complicar a vida ao Benfica e quem viu o jogo, não se desiludiu. A equipa de Moreira de Cónegos esteve a vencer até aos 69', mas a expulsão de Marcelo Oliveira e a quebra física da equipa de Miguel Leal tornaram os últimos 20 minutos infernais.

O jogo começa com uma entrada fortíssima do Moreirense. Dominante nos primeiros 20 minutos, os pupilos de Miguel Leal chegaram com mérito à vantagem através de João Pedro, na sequência de um excelente cruzamento de Arsénio, batendo o estreante guarda-redes Júlio César.

A segunda metade da primeira parte foi do Benfica que equilibrou o jogo até ao intervalo, embora não tenha conseguido criar grandes oportunidades de golo neste período. Como a equipa não estava a conseguir fazer o que o treinador pedia, Jesus substituiu Samaris por Derley a 10 minutos do descanso para dar outra capacidade ofensiva à equipa.

Sem médios de contensão, Jorge Jesus pôs claramente a carne toda no assador para a segunda parte, apresentando um enorme caudal ofensivo. O Benfica obrigou os moreirenses - que até estavam a jogar, com personalidade, no campo todo - a recuar cada vez mais. No entanto, o golo tardava em surgir porque a equipa de Miguel Leal estava muito organizada.

Tudo mudou quando Marcelo Oliveira levou o segundo cartão amarelo, numa análise correta do árbitro, e o Moreirense, que já não estava a conseguir chegar muitas vezes à baliza de Júlio César, viu-se obrigado a tirar o extremo Arsénio para colocar o central Anílton Júnior.

Tudo piora quando pouco depois Eliseu desbloqueia este jogo com um golaço de fora de área. A partir daí, o Benfica foi à procura da vitória com muito mais confiança e qualidade dos seus jogadores mais ofensivos acabou por fazer a diferença perante um Moreirense fragilizado pela expulsão e pelo cansaço. Maxi e Lima, de penálti, sentenciaram o resultado em 3-1

Rio Ave-Arouca

Talvez o lexema "crise" tenha uma carga semântica exagerada para os últimos resultados do Rio Ave, mas a verdade é que a equipa de Pedro Martins não vence há 3 jogos. Empatara em Moreira de Cónegos, seguiu-se a exibição desastrosa com o Dínamo de Kiev e ontem os vila-condenses foram surpreendidos em casa pelo Arouca.

Marcelo, um dos melhores jogadores do Rio Ave e também um dos grandes centrais do nosso campeonato, esteve em destaque pela negativa. Esteve diretamente ligado ao primeiro golo do Arouca, que deu imensa confiança à formação de Pedro Emanuel. O golo foi apontado por Nildo Petrolina.

O Arouca sabia que o Rio Ave era favorito para este encontro, deixou a iniciativa do jogo ao adversário e tentou jogar no erro do mesmo. Foi exatamente isso que conseguiu fazer através do já referido erro de Marcelo. Tarantini até empatou o marcador logo no início da segunda parte, mas David Simão não deixou os rioavistas crescerem na partida, ao colocar a sua equipa novamente à frente do marcador.

O resultado terminou em 1-2. Pedro Martins até se pode queixar de alguma falta de sorte, visto que a sua equipa mandou uma bola ao poste e Goicoechea fez mais uma boa exibição com excelentes defesas.

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Arquívo