jueves, 18 de junio de 2015

A Seleção é "Cristianodependente"?

Numa semana marcada pelo hat-trick à Arménia e pela atribuição do nome "CR7" a uma nova galáxia em clara homenagem ao craque português, Cristiano Ronaldo é, neste momento, indiscutivelmente o maior embaixador de Portugal no mundo. CR7 é a grande figura da Seleção, mas estamos assim tão dependentes do melhor jogador do mundo?

Cristiano Ronaldo entra para a história da Seleção por vários motivos. Tem 55 golos marcados, sendo já o melhor marcador de sempre, marca que tão cedo não será atingida. Já é o melhor marcador europeu de sempre em fases de qualificação (contando com as fases finais) e está a um golo do líder Robbie Keane (sem contar com as fases finais). A confirmar-se a presença no Euro 2016, será o primeiro português a estar presente em 7 fases finais. Se marcar 4 golos nesta competição, passa igualmente a ser o melhor marcador de sempre em fases finais.

Os números são, de facto, impressionantes, quiçá apenas ao alcance do melhor jogador de sempre. No entanto, Portugal é uma potência do futebol mundial e conta com vários outros craques, que por culpa do exagerado protagonismo de Cristiano Ronaldo, têm vindo a ser banalizados.

É verdade que Cristiano Ronaldo foi totalmente decisivo em jogos importantes como foi o caso contra Arménia e Dinamarca. No entanto, convém referir que vencemos recentemente a Itália e a Argentina sem participação do craque do Real Madrid, na totalidade e apenas na segunda parte respetivamente. Além disso, houve várias exibições de baixa qualidade noutros jogos por parte de CR7. 

A última semana deu boas indicações em relação ao futuro próximo da Seleção. Não pelas duas vitórias alcançadas, mas sim pelo facto de a possibilidade de CR7 jogar na posição 9 ser uma realidade. Este cenário foi sistematicamente afastado nos últimos anos e, na minha opinião, prejudicou os interesses da Seleção. Com a quantidade de extremos de topo mundial, é um desperdício ter de deixar tantos no banco. Para as alas, há Nani, Quaresma, Bernardo Silva, Bruma, entre outros.

É certo que Cristiano Ronaldo é hoje oficialmente de outra galáxia, mas convém não esquecer que, apesar da importância do capitão, Portugal continua a ser uma das melhores seleções do mundo sem ele. 

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Arquívo